skip to Main Content
Como Criar Uma Boa Política De Benefícios Aos Colaboradores

Como criar uma boa política de benefícios aos colaboradores

Um bom salário é essencial, mas não é a única forma de conquistar o interesse de candidatos e de reter colaboradores dentro das organizações. A associação de benefícios previstos em lei com vantagens extras tem sido a forma encontrada pelas empresas para manter funcionários comprometidos, satisfeitos e felizes, diminuindo o indesejado turnover.

Criar uma boa política de benefícios para os colaboradores requer conhecimento da legislação e de talentos que a empresa possui. Leia este post e saiba como oferecer bons motivos para os colaboradores continuarem satisfeitos com sua empresa.

Alguns benefícios são obrigatórios pela legislação trabalhista e pelos sindicatos

Também conhecidos como benefícios compulsórios, são aqueles que a empresa não pode deixar de oferecer. Os principais deles são:

  • Vale transporte: Nenhum funcionário pode gastar mais do que 6% de seu salário com despesas de transporte entre a residência e o trabalho. Como exemplo, se o salário base for de R$ 1.000,00 e o gasto com locomoção for de R$ 100,00, a empresa terá que colaborar com R$ 40,00 para totalizar o valor necessário.
  • Férias remuneradas: Ao completar um ano de trabalho, o funcionário tem direito a um repouso de 30 dias, quando recebe o salário referente ao mês de férias adiantado e mais 30%. Desde a Reforma Trabalhista, 2017, é possível parcelar as férias em até 3 períodos.
  • Décimo Terceiro Salário: Salário extra pago anualmente, sendo proporcional ao tempo de empresa no ano correspondente ao pagamento.
  • Fundo de Garantia (FGTS): Depositado mensalmente, equivale ao valor de 8% do salário do empregado.
  • Adicional Noturno: Valor acrescido no caso de pessoas que trabalhem entre 22 e 5 horas da manhã.
  • Licença maternidade ou paternidade: Pais, biológicos e adotivos, têm direito a esse benefício, sendo de 4 meses para mulheres e 5 dias para os homens.

É preciso atenção aos acordos coletivos ou convenções de sindicatos que podem estabelecer algumas vantagens, que variam de segmento para segmento, e que são consideradas obrigatórias. Uma empresa que deve pagar auxílio creche, por exemplo, e não repassa esse valor aos colaboradores terá problemas para efetuar a homologação – além de poder ser processada na justiça do trabalho.

Benefícios espontâneos podem atrair e reter talentos

Qualquer benefício que não está previsto em lei ou em acordos trabalhistas são chamados de benefícios espontâneos. Alguns são tão comuns que podem ser confundidos com os obrigatórios, como é o caso de planos médicos e odontológicos; vale alimentação ou vale refeição, entre outros.

Em busca de um ambiente positivo as organizações têm criado políticas de  benefícios que visam a motivação dos colaboradores e uma maior produtividade. Esses complementos, que podem fazer toda diferença no momento em que o colaborador tiver que escolher entre ficar na empresa ou buscar outros desafios profissionais, são muitos. Vejamos alguns deles:

  • Trabalho Flexível: Um dos benefícios mais desejados pelos funcionários é poder fazer home office ou ter agenda de trabalho flexível, isso porque desejam maior equilíbrio entre vida profissional e vida pessoal.
  • Premiações: Oferecer viagens ou um dia de folga para estar com a família é uma forma de premiar metas atingidas e valorizar o funcionário.
  • Auxílio para estudo: Nem sempre o bolso acompanha a necessidade de atualização sentida por todo profissional. Oferecer auxílio para cursos de aperfeiçoamento profissional é uma forma de garantir satisfação.
  • Convênios: Oferecer descontos em restaurantes ou livrarias, bem como ajuda de custo para práticas de atividades esportivas pode ser uma excelente forma de mostrar aos profissionais como são importantes.

Conheça sua equipe antes de definir a política de benefícios

Cada organização possui características particulares e atrai perfis diferentes de pessoas. Essas particularidades precisam ser analisadas antes de  implantar a política de benefícios que, requer alguns outros cuidados, para gerar bons resultados.

Conheça seus colaboradores

Uma pesquisa simples pode detectar os principais interesses dos trabalhadores, que devem ser combinados com as necessidades da empresa.

Crie o pacote de benefícios

Essa parte envolve pesquisas com fornecedores dos serviços e definição de valores a serem investidos – sim, investimento, uma vez que o retorno virá na forma de satisfação e maior produtividade do colaborador.

Divulgue as vantagens e acompanhe a utilização

Quando estiver tudo definido, divulgue adequadamente, inclusive informando o funcionamento, prazos, etc. Acompanhar a utilização das vantagens é essencial para aperfeiçoamento do programa.

A gestão dos benefícios é tarefa de RH e deve ser minuciosa. Os que são obrigatórios por lei, em especial, necessitam de um controle eficaz, evitando multas ou processos trabalhistas no futuro.  Acesso RH facilita esse processo ao possibilitar que o setor de recursos humanos cadastre os benefícios oferecidos pela empresa para que o candidato os visualize  e decida se aceitará ou não as opções disponibilizadas.

É inegável que o profissional de Recursos Humanos possui uma infinidade de preocupações em seu dia a dia, necessitando de apoio tecnológico para tornar seu cotidiano mais prático, sem perder a qualidade. Acesso RH disponibiliza suas inúmeras funcionalidades exatamente para oferecer essa ajuda tão necessária.

Pare de perder tempo com processos lentos e burocráticos! Acesse:Guia Completo – Tecnologias Disruptivas no RH

tecnologias disruptivas 300x250 - Como criar uma boa política de benefícios aos colaboradores

 

 

Back To Top