skip to Main Content
Como Engajar Trabalhadores Intermitentes Em Sua Empresa

Como engajar trabalhadores intermitentes em sua empresa

Com a nova reforma trabalhista, de novembro de 2017, as empresas passaram a contar com novos formatos de contrato de trabalho – e também com o desafio de saber como engajar trabalhadores intermitentes.

Se sua empresa já opta ou está considerando adotar esse novo formato de contrato de trabalho, esse artigo pode ser de grande utilidade. Entenda melhor o conceito e explore nossas dicas a seguir.

O que é o contrato intermitente?

O contrato intermitente é uma das mudanças promovidas pela Nova Reforma trabalhista, sancionada em novembro de 2017:

Considera-se como intermitente o contrato de trabalho no qual a prestação de serviços, com subordinação, não é contínua, ocorrendo com alternância de períodos de prestação de serviços e de inatividade, determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador, exceto para os aeronautas, regidos por legislação própria”.

Esse formato de contrato de trabalho não possui uma carga horária mínima definida, apenas o limite máximo: as 44 horas semanais ou 220 horas mensais, conforme o total máximo de jornada de trabalho garantido pela Constituição atual.

Essa é a grande diferença entre o contrato tradicional e o intermitente, já que estes trabalhadores também contam com os benefícios da Previdência e do FGTS.

A vantagem entre este tipo de contratação e a autônoma está diretamente ligada ao tipo de relação que sua empresa deseja ter com os colaboradores. Enquanto o funcionário autônomo tem compromisso apenas com a entrega de resultados, o colaborador intermitente deve obedecer às regras e padrões de trabalho que são impostas por sua empresa. Isso também ajuda a proteger sua empresa de possíveis processos trabalhistas.

Como engajar trabalhadores intermitentes

Manter trabalhadores intermitentes engajados e produtivos é importante para o desempenho geral de qualquer empresa.

Assim como os funcionários em tempo integral, os intermitentes precisam de incentivo para se manterem comprometidos com a missão e os resultados da organização. Aqui estão algumas dicas sobre como engajar trabalhadores intermitentes e manter um alto nível de satisfação entre eles:

Liderança que entusiasme

Saber como engajar trabalhadores intermitentes envolve também uma dose de habilidades de liderança e relacionamento interpessoal.

Mesmo que haja menos tempos de convivência, é possível entender o funcionário, descobrindo a melhor forma de motivá-lo. Demonstrar interesse e dedicar tempo para explicar o serviço ou ouvir as dúvidas são maneiras simples, mas eficientes, de levá-lo a descobrir que sua contribuição é valiosa para a empresa – independente do período que ficará na empresa.

Apresente os trabalhadores intermitentes às pessoas com quem irá trabalhar ou àqueles com quem compartilharão espaço. Isso facilitará a criação de laços, importantes para se sentirem parte da equipe.

Avaliação de desempenho com vistas a trabalhos futuros

O fato de serem intermitentes, não é impedimento para que os funcionários possam demonstrar grande capacitação e sinergia com a organização. 

Ao realizar processos seletivos para vagas com o mesmo perfil dos funcionários intermitentes que se destacaram, convide-os para participar do processo seletivo. Outra possibilidade é inseri-los em novos projetos onde possam desenvolver suas competências.

Definição de recompensas

Eis um tópico controverso, pois consiste em oferecer recompensas aos colaboradores como forma de mantê-los mais motivados a desenvolver suas tarefas.

Cabe à empresa definir quais benefícios, já oferecidos aos colaboradores contratados, serão disponibilizados aos trabalhadores intermitentes. Entre eles, podemos destacar: cestas de  final de ano, festas da instituição (aniversário, final de ano, etc), ações sazonais como promoções de produtos para datas comemorativas, etc.

Vale ressaltar que não basta definir o pacote de benefícios oferecidos aos temporários. É preciso comunicar as regras e, no caso de diferença entre colaboradores fixos e intermitentes, esclarecer que ela existe.

Deixar de informar de modo claro poderá acarretar problemas futuros e, até mesmo, gerar desmotivação por parte dos colaboradores que deixarão de receber vantagens comuns aos contratados.

RH x trabalhadores intermitentes

Como uma das mudanças trazidas pela nova reforma trabalhista, o contrato intermitente traz novidades para as rotinas de RH atuais. Traz, também, a necessidade de reflexões e definições em relação às vantagens oferecidas a esse tipo de trabalhadores.

Tão importante quanto saber como engajar trabalhadores intermitentes é contar com processos de admissão eficazes para este novo modelo de posto de trabalho.

É preciso ir além da produção de um novo contrato, mas também encontrar formas de fazer a contratação mais acertada e mais rápida.

O AcessoRH pode ser um excelente suporte neste processo, já que ele otimiza o processo de gestão de admissão ao validar os documentos admissionais necessários, informando tanto a empresa quanto o funcionário sobre o status de cada etapa. Ao fim, o trabalhador está apto a iniciar sua jornada e a empresa já conta com todos os dados formatados de acordo com o eSocial.

Essas são as nossas dicas sobre como engajar trabalhadores intermitentes. Para receber mais dicas acompanhe nosso blog e siga o AcessoRH nas redes sociais:

Back To Top