skip to Main Content
Disrupção Tecnológica No RH: O Impacto Para Os Profissionais

Disrupção tecnológica no RH: o impacto para os profissionais

A crescente evolução da disrupção tecnológica é uma realidade que tem deixado muitos profissionais de RH em alerta.

No passado, muitas empresas demoraram a incorporar essas inovações em seus negócios diários. Com isso, ficaram para trás na competição e produtividade junto ao mercado.

Os modelos tradicionais de gestão de comando e controle estão dando lugar a estruturas não hierárquicas inovadoras, orientadas por dados, centradas no cliente, no produto e em sua missão. E a tecnologia tem papel de destaque no orçamento dos departamentos de RH: uma pesquisa realizada nos Estados Unidos apontou que as empresas investiram mais de US$ 3 bilhões em tecnologia de RH em 2015 e 2016 – e  mais US$ 1 bilhão por ano a partir de 2017.

Portanto, o departamento de RH tem uma responsabilidade importante neste momento de profunda transformação digital. É seu papel ajudar e capacitar a organização para responder a essas enormes disrupções. É hora de o RH avançar e cumprir o papel para o qual sempre se esforçou: ser o centro vivo que impulsiona todas as outras funções de negócios que operam em uma empresa.

Isso tudo pode parecer altamente promissor, mas você deve estar se perguntando: como isso pode ser feito na prática? Este artigo pretende responder estas e algumas outras perguntas que todo profissional de RH possa ter sobre o tema – então siga conosco na leitura.

A disrupção tecnológica está transformando as rotinas de RH

Um bom exemplo de todas as mudanças nascidas da transformação digital no setor está nos novos formatos de treinamento de colaboradores.

Adeus às apresentações de PowerPoints de várias horas – plataformas de eLearning permitem à equipe escolher o que, onde e quando eles aprendem. É possível concluir cursos de treinamento curtos e gerenciáveis ​​em qualquer dispositivo, sempre que quiserem – e o gestor responsável recebe um feedback sobre o progresso de cada um.

Recursos como realidade aumentada e inteligência artificial (AI) ajudam não só nesse processo, mas também dão suporte às ações em campo – como treinamentos em chão de fábrica, auxiliam colaboradores ou documentações mais específicas. Tudo isso otimiza rotinas e abre espaço para que os profissionais possam cada vez mais atuar de forma estratégica, sem desperdício de tempo em tarefas mecânicas.

Como as tecnologias podem ajudar o RH a melhorar o engajamento dos funcionários

Equipes de várias empresas já descobriram também que empregar essas novas tecnologias pode estimular um envolvimento maior por parte dos funcionários.

Em vez de emitir relatórios e comunicados para estabelecer canais de relacionamento com os colaboradores, os sistemas de hoje operam mais em tempo real.

Por exemplo: antigamente o RH realizava pesquisas anuais ou semestrais junto aos funcionários sobre questões importantes para a empresa, mas hoje algumas plataformas – como o próprio Google Forms – permitem acesso a um feedback mais imediato sobre questões como estratégias de negócios, mudanças na organização ou quaisquer novos projetos e iniciativas.

Isso permite que o RH conheça e entenda as visões dos funcionários, comunique melhor essas opiniões à gerência e garanta uma melhor comunicação entre todas as partes.

Sistemas de RH diminuem o retrabalho das equipes

Os sistemas de RH mais antigos tendiam a ser supervisionados exclusivamente por gerentes de RH e executados em centrais de dados que apenas coletavam e armazenavam informações de funcionários, folha de pagamento gerenciada, revisões de desempenho, bem como muitas outras tarefas associadas a RH.

Hoje, já é possível contar com ferramentas que adotam um método de “autoatendimento” para que os funcionários possam utilizá-los facilmente.

Com isso, os processos de admissão ganharam mais agilidade e podem ser concluídos em apenas dois dias – ao contrário dos sete dias habituais. O AcessoRH, por exemplo, é um software que permite que o próprio candidato preencha seus dados e envie toda a documentação necessária, que é checada pelo próprio sistema, otimizando o tempo e os recursos de RH. O candidato recebe um link, via e-mail ou SMS, para o envio das informações e dos documentos e vai sendo atualizado sobre o andamento pelos mesmos canais. O Acesso RH evita retrabalhos e ainda é integrada ao eSocial, o que também facilita nos trâmites pós-admissão: folha de pagamento, benefícios, afastamentos e demais questões contratuais.

A disponibilidade dessas novas tecnologias precisa ser utilizada não apenas para facilitar o dia a dia dos possíveis funcionários, mas também para facilitar a vida da equipe de RH e melhorar o fluxo de trabalho e a produtividade de toda a equipe – que pode utilizar esse tempo extra em atividades mais estratégicas e essenciais para o sucesso da empresa.

Se você gostou deste artigo e quer saber mais sobre dicas de otimização no RH, assine nossa newsletter!

Back To Top